Meu Crediário, de Rio do Sul, vence etapa catarinense da Seedstars, competição global de startups

Voce está em :Home-Negócios-Meu Crediário, de Rio do Sul, vence etapa catarinense da Seedstars, competição global de startups

Meu Crediário, de Rio do Sul, vence etapa catarinense da Seedstars, competição global de startups

Nove empresas apresentaram seus projetos, em inglês, para uma banca composta por representantes do ecossistema local e organizadores do evento

Nove empresas apresentaram seus projetos, em inglês, para uma banca composta por representantes do ecossistema local e organizadores do evento

Uma solução de gestão de crediário utilizada por cerca de 150 lojas, criada pela startup de Rio do Sul Meu Crediário, será a representante catarinense na etapa brasileira da Seedstars World, competição global que busca negócios inovadores e que dará um prêmio de US$ 500 mil ao vencedor da final continental, que acontecerá na Suíça. A premiação foi na última quinta-feira (28.09), na ACATE, em Florianópolis, e reuniu nove empresas que apresentaram seu modelo de negócio em inglês para um júri composto por representantes da Seedstars, patrocinador do evento e membros do ecossistema local (associação empresarial, aceleradora, fundo de venture capital e startup).

A aposta em desenvolver um sistema que dê confiabilidade a pequenos lojistas na hora de conceder crediário foi o que impulsionou a startup do alto vale do Itajaí, que se apoia na premissa de que um em cada três clientes que compram no crediário voltam a comprar durante o pagamento das parcelas. “Apesar de ser algo que muita gente considera antigo e que ninguém mais usa, o crediário é bom para o lojista gosta porque atrai um cliente que fideliza porque se sente valorizado por ter recebido crédito”, comenta Edgard Kestering, diretor técnico da empresa. Os principais usuários são varejistas de pequeno porte dos setores de confecção e calçados, mas a empresa já está conectando informações de grandes lojas ao motor de análise de crédito do software. A recessão econômica ajudou a impulsionar os negócios, já que “os lojistas estão procurando novas formas de oferecer crédito seguro e muitos consumidores estão com dificuldades para quitar ou obter cartões. Com o sistema, conseguimos levantar uma boa quantidade de crédito e ajudar o mercado neste momento de crise”, comenta.

A Seedstars World promove, conecta e investe cerca de US$ 1,5 milhão em startups de mercados emergentes por meio de competições que acontecem em 60 países. A vencedora da etapa catarinense se junta às vencedoras dos eventos que acontecerão em outubro em Belo Horizonte e São Paulo, que têm patrocínio do programa Inova Bra (Bradesco). A melhor brasileira depois segue para a etapa continental no México e, se classificada, participa da final global.

Além da Meu Crediário, outras duas startups foram escolhidas pelo júri e receberam créditos para uso de ferramentas de gestão e tecnologia. Em segundo lugar ficou a Signa, de Florianópolis, que desenvolve cursos online em vídeo para deficientes auditivos.  Selecionada pelo programa Startup Chile, a Signa conta com mil alunos na plataforma e já atendeu empresas como Uber, ajudando a captar motoristas surdos em 11 cidades, e  Nexxera, que atua na área de soluções bancárias. Entre os principais cursos oferecidos estão matemática financeira, HTML básico, fotografia, edição de vídeo e ASL (linguagem americana de sinais). A perspectiva, aponta a fundadora Fabíola Borba, é chegar a dois mil alunos até o final do ano e começar a atuar na ligação entre pessoas surdas capacitadas e vagas no mercado de trabalho.

Cerca de 40 startups se inscreveram e nove defenderam seus projetos. Para a Seedstars, competição foi equilibrada em função da maturidade das startups.

Em terceiro lugar ficou a Mass Labs, também com sede em Florianópolis e que atua com sistemas de controle e transporte urbano e rodoviário de passageiros. Para as empresas do setor, a plataforma tem como objetivo gerar informações estratégicas que ajudem a reduzir custos e facilitar a operação do transporte – para o usuário final, a proposta é oferecer um ambiente web para gestão de créditos e integração de linhas, além de um validador que permite, pelo celular, fazer o pagamento na catraca.  

Soluções locais seguem tendência de outros países latinos

Juliane Butty, gerente regional da competição na América Latina, comenta que alguns dos melhores projetos apresentados na região são respostas a problemas comuns em países emergentes: “estes projetos que foram mais bem avaliados aqui em Florianópolis seguiram a tendência que vimos em outras cidades latinas, com soluções para transporte de massa, acesso a crédito e inclusão social”.

É a primeira vez que a Seedstars chega ao sul do país e a intenção é realizar eventos em outras regiões nos próximos anos – no ano passado, estreia deles no Brasil, as competições aconteceram apenas no Rio e em São Paulo. “O que eu acho interessante em Florianópolis e em Santa Catarina como um todo, é que além das startups, tem o trabalho de entidades como a ACATE, que atua como coordenadora de várias iniciativas, e as universidades. Eu vejo as pessoas muito motivadas aqui, há uma qualidade muito grande dos desenvolvedores, como o próprio fundador do Easy Taxi, o Tallis, já falou publicamente, e também empreendedores com muitas ideias e vontade para começar”, opina Juliane. Nascida na Suíça, ela tem vindo regularmente ao Brasil nos últimos quatro anos, onde fez intercâmbio e atuou em uma entidade de apoio a empreendedores em comunidades carentes.

A capital catarinense deve voltar ao mapa de competições nos próximos anos. “Nossa experiência é sempre voltar. Aqui tivemos um bom pool de inscritos, cerca de 40 startups, e os nove finalistas de hoje, sinceramente, são muito bons. A escolha foi difícil pois eles já tinham modelo de negócio validado, com tração. Florianópolis faz todo o sentido pra Seedstars”, afirma a gerente regional do programa.