INSIGHTS – Um framework para transformar Floripa em Smart Island / Da Ilha para Lisboa: Conecta e Startup Summit são lançados no Web Summit

Voce está em :Home-Sociedade-INSIGHTS – Um framework para transformar Floripa em Smart Island / Da Ilha para Lisboa: Conecta e Startup Summit são lançados no Web Summit

INSIGHTS – Um framework para transformar Floripa em Smart Island / Da Ilha para Lisboa: Conecta e Startup Summit são lançados no Web Summit

Estudo apresentado no Knowledge Cities World Summit, que encerrou na quinta (07.11), sugere um modelo personalizado para o desenvolvimento urbano da capital catarinense

—> Estudo Smart Floripa apresentado no Knowledge Cities World Summit, que encerrou na quinta (07.11), sugere um modelo personalizado para o desenvolvimento urbano da capital catarinense. Foto: Douglas Sielski

—> “Ô, mané”: com rock ilhéu, empreendedores e lideranças empresariais, Floripa Conecta é Startup Summit 2020 são apresentados em Lisboa

 

Transformar a capital catarinense em uma “ilha de conhecimento” para resolver mazelas como falta de planejamento urbano, mobilidade, segurança e saneamento básico – gerando qualidade de vida a moradores, turistas e competitividade econômica. O desafio proposto no relatório Smart City Florianópolis foi um dos principais temas debatidos durante o 12º Knowledge Cities World Summit, encontro que reuniu em Florianópolis alguns dos maiores especialistas em desenvolvimento das cidades do mundo e que encerrou nesta quinta (07.11).

O estudo propõe que Florianópolis adote um framework personalizado de desenvolvimento urbano baseado no conhecimento (imagem abaixo). Devido às suas características físicas e geográficas (uma ilha com terreno acidentado e concentrações urbanas distantes uma das outras), a cidade exige soluções inovadoras que sejam capazes de preservar o meio ambiente. O evento reuniu os três organizadores do trabalho – os professores Tan Yigitcanlar, da Queensland University of Technology (Austrália), Eduardo Costa (UFSC) e a presidente da Câmara de Tecnologia e Inovação da Fecomercio/SC, Jamile Sabatini Marques. 

Este é o modelo personalizado proposto por pesquisadores para um desenvolvimento econômico e sustentável de Florianópolis. / Imagem: Projeto Smart Floripa

A arquiteta Cibele Lorenzi, da Prefeitura de Florianópolis, citou a opção recente por estimular a criação de uma rede de centros de inovação em áreas onde há maior concentração urbana. Além disso, há necessidade de integração e proximidade entre universidades, empresas e sociedade. 

Segundo a pesquisadora Tatiana Schreiner, do Laboratório de Cidades mais Humanas, Inteligentes e Sustentáveis (LabCHIS) da UFSC, levantamento com lideranças do segmento de tecnologia identificou que 83% consideram que, na capital catarinense, o setor apresenta performance superior à marca nacional do índice global de inovação 2018. O principal problema para manter o nível de expansão dos últimos anos é garantir formação, atração e retenção de talentos.

Parte significativa da economia de Florianópolis é baseada no conhecimento e de um ecossistema de inovação, constituído por parques tecnológicos, incubadoras e aceleradoras, além de uma rede de centros de inovação. As empresas de TI locais faturaram, em 2018, um total de R$ 6,7 bilhões, segundo o estudo Tech Report da Acate.

O estudo está disponível aqui para download e também conta com uma versão em inglês.

 

ENTIDADES CATARINENSES LANÇAM FLORIPA CONECTA E STARTUP SUMMIT 2020 EM TERRAS PORTUGUESAS

Desta vez, foram os ilhéus que invadiram a terra de Camões. Durante uma semana, empreendedores e lideranças empresariais da capital catarinense engrossaram a comitiva brasileira que participou do Web Summit, maior evento de tecnologia e inovação da Europa, não apenas para prospectar negócios e acompanhar palestras. A ideia era fincar uma bandeira do ecossistema catarinense em Lisboa, ao estabelecer bases de cooperação entre programas locais a iniciativas portuguesas, e lançar as edições de 2020 do Floripa Conecta e do Startup Summit. 

Internacionalização se tornou a palavra de ordem para a missão de Santa Catarina. Após um trabalho de consolidação – ainda em desenvolvimento, diga-se – e promoção do ambiente local para o Brasil, o objetivo do grupo de entidades envolvidas (ACIF, Acate, Fiesc, Sebrae, Prefeitura de Florianópolis, Governo do Estado e outras) é começar a colocar a capital e o estado no mapa mundial de inovação.

“Nosso papel aqui é promover Florianópolis como destino empreender, trabalhar e morar. Apesar de sermos talvez o melhor ecossistema de inovação do Brasil, internacionalmente ainda somos muito pouco conhecidos”, justifica Marcus Rocha, superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação da Capital.

Além de apresentar o festival Floripa Conecta, que neste ano agregou mais de 60 eventos e reuniu cerca de 120 mil pessoas, foi lançado durante o Web Summit a terceira edição do Startup Summit, evento nacional do Sebrae e da Acate sobre empreendedorismo inovador e que pretende contar com 6,5 mil participantes nos dias 20 e 21 de agosto de 2020. O lançamento foi na noite desta quarta-feira (06.11), na Aceleradora Beta-i, com direito a um show do Dazaranha em meio ao happy-hour.