[Cultura Digital] NFT: o token de 6 milhões de dólares

Voce está em :Home-Cultura Digital, Sociedade-[Cultura Digital] NFT: o token de 6 milhões de dólares

[Cultura Digital] NFT: o token de 6 milhões de dólares

O Token Não Fungível (NFT) veio para modificar nossa noção de propriedade, seja intelectual ou material, colocando em evidência processos até então confiados a poucos, como advogados, cartórios e marchands.


[12.03.2021]

Por Alexandre Adoglio, CMO na Sonica e empreendedor digital.
Escreve semanalmente sobre Cultura Digital para o SC Inova 

Em uma manhã neste início de março, o artista digital Mike Winkelmann começou seu dia de trabalho como qualquer outro, organizando suas tarefas no home-office e se preparando para mais um dia de criatividade nos seus processadores e vetores. De repente decidiu dar uma passada em um dos sites de leilão online onde disponibiliza suas obras para revenda, e o que viu deixou-o estarrecido. Uma das suas pinturas digitais, intitulada FOR A GIRL, foi arrematada pela assombrosa quantia de US$ 93 mil via revenda em blockchain com pagamento em criptomoedas.

Mais conhecido como Beeple Crap, o artista digital promoveu suas obras dentro do MakersPlace, um marketplace que promove a venda de arte digital via NFT (non-fungible token, “token não fungível”), ofertando uma série de 333 imagens escolhidas a dedo cobrindo toda sua história como criador digital, já célebre por suas críticas sociais a Donald Trump, Kim Jong-un e o capitalismo em geral. Cada NFT vem com uma peça física (imagem abaixo), um tablet envolto em uma caixa de acrílico, que foi vendido por US$ 1,00 cada nesta ação para promover sua arte, sendo que até o momento movimentou U$ 900.000,00 no site.

ONE GIF = US$ 3K

O Token Não Fungível (NFT), é uma classe de cryptocurrency em blockchain que veio para modificar nossa noção de propriedade, seja intelectual ou material, colocando em evidência processos até então confiados a poucos, como advogados, cartórios e marchands. Um token é o sinal de propriedade de um ativo. Por exemplo, um ingresso para um show é um sinal de propriedade de um espaço para um show. Um Bitcoin é o título de propriedade do valor subjacente do Bitcoin. Um token é um ativo digital, armazenado no blockchain. Como o blockchain é transparente, é fácil para todos ver quem é o proprietário de qual token.

Fungível se refere a um ativo que pode ser facilmente trocado. Um dólar é muito fungível, você pode me dar um dólar em troca de um bem e eu posso trocá-lo por outro serviço. Um token não fungível é um token único que não pode ser facilmente trocado por outro. Inicialmente está sendo muito usado em obras de arte, que têm sido vendidas no blockchain por milhões de dólares (ou, neste caso, uma moeda nativa do blockchain, Ethereum).

Porém, nesta seara virtual muitos outros “ativos” estão sendo negociados e mudando de mãos rapidamente, como o primeiro tweet da história, feito por Jack Dorsey, CEO do Twitter, que já alcançou uma oferta de US$ 2,5 milhões no leilão que ainda está aberto, ou mesmo  o gif Gucci Ghost gerado a partir da obra de Trevor Andrew que está pedindo U$ 16.000,00 dólares pela obra.

O primeiro tweet da história, feito por Jack Dorsey, já alavancou US$ 2,5 milhões em um leilão NFT.

A loucura dessas compras é que qualquer pessoa pode baixar a arte de Beeple Crap. É tão simples quanto clicar em “salvar imagem” em seu laptop. O que os compradores procuram não é a obra de arte em si, mas a prova de propriedade desta obra de arte. São semelhantes a colecionadores de arte que expõem seus bens mais valiosos em museus. Os NFTs representam uma forma de os colecionadores de arte encorajarem financeiramente seus artistas favoritos online. Ou seja, todo mundo pode ter uma cópia impressa de um Monet, mas somente uma pessoa pode ser seu proprietário.

E O QUE ISSO IMPACTA MINHA VIDA?

Pois então, a partir deste momento conseguiremos lastrear nossas propriedades através de elementos não tangíveis, como papel e carimbo, pois como os NFTs representam ativos não fungíveis, isto é, ativos únicos e insubstituíveis, podem valer tanto para uma música como para um carro ou para um apartamento em específico. E como são baseados em blockchain, é possível rastrear seus autores e verificar sua autenticidade, ou seja, o uso da tecnologia em música ou imagem facilita a cobrança e pagamento de royalties pois seus proprietários conseguem saber quem e onde estão usando seu ativo digital.

Embora este não seja mais do que um nicho de setor da Internet, nos últimos seis meses ele realmente explodiu no mercado de arte digital e parece que veio para ficar. Enquanto os primeiros experimentos com NFTs datam de 2013-2014, o mercado parece chegar a uma certa maturidade e apelo mainstream em 2021, mas vários problemas permanecem com o mercado de NFT, no entanto. 

Apesar dos problemas de configuração iniciais, os NFTs têm aplicação quase infinita com negociações digitais rompendo fronteiras por todo mundo.

Como a principal moeda de troca e a rede na qual os mercados são construídos é o Ethereum, as taxas de transação são muito altas e é comum pagar US$ 50 para transferir o título de propriedade de uma NFT de seu criador para o comprador. Em plataformas como Rarible ou OpenSea, os atuais líderes de mercado, não apenas cada transação (criação da NFT, licitações, transferência de propriedade) custa aos usuários grandes somas, mas também representa a terrível pegada de carbono da rede Ethereum.

APLICAÇÕES NO MUNDO REAL

O uso mais óbvio de tokens virtuais únicos e à prova de hack é armazenar todos os tipos de dados, privados e públicos – de sua certidão de nascimento e dados de saúde a registros de terras e muito, muito mais. A marca de luxo Louis Vuitton, por exemplo, já usa a tecnologia para rastrear seus artigos, em uma parceria com a Microsoft para criar a primeira rede Blockchain para o mercado de luxo. 

Mais importante, eles podem um dia revolucionar a maneira como criamos e executamos acordos para trocar dinheiro, ações, propriedade ou virtualmente qualquer ativo por meio de contratos inteligentes. Esses contratos digitais podem um dia acabar com a necessidade de um árbitro terceirizado, como um tribunal ou cartório, e, em vez disso, usar um programa de computador no blockchain para confirmar que as condições foram atendidas.

LEIA MAIS ARTIGOS SOBRE CULTURA DIGITAL

Mesmo com problemas iniciais, principalmente questões técnicas, em torno dos protocolos usados para criá-los, os NFTs e o próprio Ethereum, são tecnologias de aplicação quase infinita com negociações digitais rompendo fronteiras por todo mundo.

Em tempo: nosso personagem principal, Beeple Crap, vendeu sua coleção de digital arte EVERYDAYS: THE FIRST 5000 DAYS através da famosa Christie’s por US$ 69,3 milhões, tornando-se pioneiro nesta que promete ser a nova forma de comércio do físico para o virtual.

LEIA TAMBÉM: