Covid-19: empresas e entidades de tecnologia em Joinville doam sistema para Secretaria de Saúde fazer atendimento à população

Voce está em :Home-Covid-19, Joinville, Sociedade-Covid-19: empresas e entidades de tecnologia em Joinville doam sistema para Secretaria de Saúde fazer atendimento à população

Covid-19: empresas e entidades de tecnologia em Joinville doam sistema para Secretaria de Saúde fazer atendimento à população

Em uma semana, ação articulada do ecossistema de inovação viabilizou o desenvolvimento e a doação da plataforma do Web-Saúde Joinville que, além de orientações, presta apoio psicológico a profissionais que estão na linha de frente do combate à epidemia.

Em uma semana, ação articulada do ecossistema de inovação viabilizou o desenvolvimento e a doação da plataforma do Web-Saúde Joinville que, além de orientações, presta apoio psicológico a profissionais que estão na linha de frente do combate à epidemia. / Foto: Secom


[JOINVILLE, 03.04.2020]
Redação SC Inova, scinova@scinova.com.br

Uma iniciativa envolvendo empresas dos setores de tecnologia e serviços, setor público e entidades de Joinville permitiu que a Secretaria de Saúde do município pudesse utilizar com um sistema de atendimento e orientações à população para se prevenir da epidemia de coronavírus. O sistema Web-Saúde Joinville entrou no ar na segunda-feira (30.03) e utiliza a base de um sistema desenvolvido pela startup joinvilense TiFlux e foi viabilizado em cerca de uma semana a partir de doações de empresas e do trabalho de voluntários e profissionais para efetivamente chegar à população.

Além de orientações sobre problemas de saúde, o Web Saúde também oferece um serviço de apoio psicológico para profissionais que estão na linha de frente de combate à Covid-19. Somente entre a manhã de segunda e o início da tarde de terça (31.03), mais de 600 pessoas já tinham utilizado o serviço – e a avaliação de gestores da Secretaria de Saúde é que a população aderiu rapidamente à iniciativa, facilitando o trabalho dos profissionais.   

Os primeiros passos aconteceram ao longo de um final de semana, quando lideranças da cidade – como o secretário de Planejamento Urbano, Danilo Conti, e o presidente do Join.valle, Dionei Domingos – discutiam alternativas para disponibilizar à população um sistema de informação de saúde para auxiliar no controle da epidemia. “O desafio era como buscar sistemas, quais poderiam de fato ajudar e como adaptar isso ao que precisávamos”, lembra Dionei. 

A solução veio “de casa”, ou melhor, de uma startup do ecossistema de tecnologia da cidade, que atua na gestão de times de tecnologia mas que poderia ser integrada ao WhatsApp, principal canal de comunicação do poder público com a população. “Vimos que era possível atender à demanda de ter um sistema para centralizar informações sobre o combate à epidemia, disponibilizando aos atendentes instruções com registro e rastreabilidade para atendimentos”, lembra Marcio Jacson, CEO da TiFlux. 

Ainda naquele final de semana, a empresa fez uma apresentação à Prefeitura, analisaram as necessidades de desenvolvimento, como um chat bot, automações para melhorar as respostas dos atendentes, indicadores de solicitação de demandas, triagens, entre outras funcionalidades. “As coisas foram acontecendo naturalmente, com uma divisão não muito planejada mas bem estruturada”, recorda o presidente do Join.valle.

Com o aval do setor público, na segunda-feira (23), a startup começou a desenvolver as adaptações necessárias de curtíssimo prazo – envolvendo o trabalho de um time de cinco profissionais – e outras que levariam mais algumas semanas para serem concluídas. 

VALOR DO PROJETO É CUSTEADO PELO ECOSSISTEMA

Os custos pelo desenvolvimento do projeto foram divididos entre empresas, numa articulação feita pelo Conselho do Join.valle, que fez oficialmente na segunda-feira (23), a doação do sistema à Secretaria de Saúde. 

As empresas que viabilizaram o serviço à população foram a TiFlux (que subsidiou parte do trabalho dos profissionais), o Perini Business Park, as scale-ups ContaAzul e Asaas e o escritório de advocacia especializado Silva, Santana e Teston

Após uma força-tarefa logo no primeiro dia de desenvolvimento, o sistema foi disponibilizado para os primeiros testes na terça (24), com implantação e outras questões técnicas sendo viabilizadas ao longo daquela semana. E exatamente uma semana após as primeiras ações, o Web Saúde já estava disponível aos joinvilenses.  

Na visão do diretor executivo da Secretaria de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Econômico municipal (Sepud), Fabiano Dell Agnolo, o momento atual de crise “colocou em xeque muitos conceitos, mas nosso ecossistema passou na prova”. Para ele, desde que o quadro de epidemia se alastrou na região, “muitas iniciativas surgiram com a participação de vários atores da iniciativa privada, poder público e academia. E isso prova o quão importante é termos um ecossistema de inovação forte e conectado”.

Como lembra Marcio Jacson, a TiFlux continua desenvolvendo algumas funcionalidades previamente previstas, como “dashboards para melhorar a visualização dos resultados dos atendimentos, com profissional dedicado para esta necessidade”, ampliando a capacidade do sistema no decorrer das próximas semanas.

“Mais uma vez na história, a comunidade joinvilense uniu forças com espírito voluntário em prol de causas nobres. Nosso papel, como Join.valle, foi de servir como instrumento, mais uma cabeça entre tantas outras que, ao longo de poucos dias conseguiu viabilizar uma alternativa para a comunidade. Nesse cenário não há protagonismo”, ressalta Dionei.

O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Mais informações sobre o Web-Saúde Joinville podem ser obtidas neste comunicado da Secretaria Municipal de Saúde.

Conteúdo produzido para