Como a Inteligência Cultural pode ajudar na internacionalização de startups

Voce está em :Home-Opinião-Como a Inteligência Cultural pode ajudar na internacionalização de startups

Como a Inteligência Cultural pode ajudar na internacionalização de startups

Trata-se da capacidade de um indivíduo ou empresa se adaptar ao novo com a habilidade de lidar com o desconhecido.

Trata-se da capacidade de um indivíduo ou empresa se adaptar ao novo com a habilidade de lidar com o desconhecido.

por Lucas Carlos Alban*

Nunca estivemos em um mundo tão interligado, conectado e sem fronteiras. Porém, a cultura ainda representa um dos maiores desafios no mundo dos negócios. Uma pesquisa recente da Economic Unit afirma que aproximadamente 70% dos projetos internacionais ainda falham por conta de diferenças culturas e que 82% das empresas multinacionais ainda perdem dinheiro na China ao tentarem fazer negócios. Será que sua empresa faria parte dessa estatística ou seria um case de sucesso?

Há apenas alguns anos, as negociações para expansões internacionais pareciam ser algo reservado apenas para os mais altos executivos de empresas multinacionais. Hoje, com mais de um bilhão de vistos sendo emitidos por ano, o mundo se tornou um lugar menor e até mesmo um simples profissional independente pode cogitar uma expansão de seus serviços para outros países. Sem mencionar a facilidade atual das exportações e importações em pequena quantidade pela internet.

No caso de startups, com a alta escalabilidade de produtos e serviços, expansão internacional parece não ser apenas uma possibilidade, mas quase que uma consequência do sucesso e bom planejamento de vendas.

INTELIGÊNCIA CULTURAL: ADAPTAÇÃO AO DESCONHECIDO

Para startups que estão começando a sua jornada no exterior, a Inteligência Cultural é um ativo indispensável – capaz, até mesmo, de prever o sucesso e a aceitação das propostas de valor da organização em outros mercados.

A Inteligência Cultural, em linhas gerais, é a capacidade de um indivíduo de se relacionar e trabalhar através de diferentes culturas, se adaptando ao novo e tendo a habilidade de lidar com o desconhecido.

Ser inteligente, nessa perspectiva, é ser capaz de entender e interpretar situações e gestos não familiares na negociação com estrangeiros – de ir além do que é visível e desenvolver estratégias efetivas para chegar ao “sim” em qualquer lugar do mundo. Além disso, a Inteligência Cultural revela quais adaptações serão necessárias no produto ou serviço para um bom ganho de mercado.

A boa notícia é que a Inteligência Cultural pode ser cultivada e aprimorada por qualquer um de nós, mesmo muito antes de perdermos negociações importantes ou passarmos por constrangimentos pela falta dela. Por meio de de insights práticos e ferramentas que ilustram as dimensões culturais e seus impactos, líderes podem integrar novos conhecimentos e adquirir competências culturais em suas relações internacionais, sua estratégia de negócios e seus processos de gestão intercultural.

COMO INVESTIR EM INTELIGÊNCIA CULTURAL?

Apresentar conhecimento da cultura local de negócios é uma forma de estar a frente da concorrência. Seja no momento de procurar por um investidor estrangeiro, ou na hora de propor seus produtos e serviços para um comprador local, seu nível de flexibilidade e entendimento cultural farão muito diferença.

Treinar sua equipe para entender diferenças culturais, ter um “embaixador cultural” em seu ambiente de trabalho ou ler profundamente sobre o país de seu interesse econômico são os primeiros passos para o crescimento dessa inteligência. Além disso, você também pode participar de workshops sobre dimensões culturais ou mesmo contratar treinamentos in company para capacitar seu time à internacionalização.

O quão preparado você está para abandonar seus limites e conquistar o mundo?

*Lucas Carlos Alban é consultor e palestrante em Adaptação Cultural para Internacionalização