Senior lança novo programa de investimento em startups

Voce está em :Home-Negócios-Senior lança novo programa de investimento em startups

Senior lança novo programa de investimento em startups

Senior Ventures busca 10 negócios inovadores nas áreas de fintech e RH para investir nos próximos cinco anos. Em 2018, valor de aporte deve somar R$ 2,5 milhões

Senior Ventures busca 10 negócios inovadores nas áreas de fintech e RH para investir nos próximos cinco anos. Em 2018, valor de aporte deve somar R$ 2,5 milhões

Após criar um programa de aceleração de startups, a Senior, empresa de Blumenau especializada em softwares de gestão, anunciou durante o Startup Summit, em Florianópolis, o lançamento do Senior Ventures, programa que prevê investimentos entre R$ 1 milhão e R$ 2 milhões em até 10 empresas inovadoras nos próximos cinco anos.

Segundo Alencar Berwanger, diretor de Novos Negócios, a estratégia é uma nova fase de investimento em startups, que começou em 2014 com o Inove Senior, um dos primeiros programas de corporate venture em Santa Catarina. Ao longo de dois ciclos, o projeto acelerou 16 negócios, dos quais quatro foram posteriormente investidos pela Senior. Mas a estratégia precisou ser repensada: “aprendemos muito e vimos que o ideal seria ajudar empresas em um estágio de maior maturidade. Além disso, um programa com início, meio e fim não respondia às necessidades das startups. Era preciso um acompanhamento contínuo e a partir do ano passado começamos a criar um funil de empresas com o perfil que achávamos ideal para investir”.

Ainda neste ano, a Senior deve investir em duas novas empresas. “Nosso direcionamento é para startups em fase de escala que tenham sinergia com nosso mercado. Temos R$ 2,5 milhões para estes aportes em 2018. Até 2022 queremos atrair 10 startups, com foco em fintechs e HRtechs (soluções para gestão de pessoas)”, afirma. A participação da Senior deve ficar entre 10% e 20% das empresas. Além do capital para crescimento, a Senior Ventures quer ajudar no acesso ao mercado e governança corporativa.

O diretor de Novos Negócios Alencar Berwanger: projeção para dobrar a receita em três anos. / Foto: Divulgação Senior

A mudança de rota começou a ser desenhada quando a Senior adquiriu 25% da Social Base, startup de Florianópolis que desenvolve uma rede social corporativa. O negócio veio da área de fusões e aquisições (M&A) da Senior, mas ao longo da negociação a Senior entendeu que, melhor do que comprar o controle da startup seria participar do quadro acionário. Como resume o diretor: “queremos que o empreendedor fique rico e que a gente tenha a opção de compra depois de ajudá-lo a se desenvolver”.

Com faturamento de R$ 283,4 milhões, a Senior cresceu 11% em 2017 e tem planos ambiciosos para os próximos anos. “Nosso objetivo é crescer 30 anos em três e dobrar nosso faturamento. Até 2023 queremos chegar à marca de R$ 1 bilhão”, calcula Alencar. A meta, segundo ele, é factível desde que novos projetos de investimento e aquisições deem certo. Entre 2013 e 2017, a receita da empresa dobrou em função dos mais de 400 novos clientes e o foco na estratégia de aquisições e aproximação com o ambiente de startups.

Para chegar a estes resultados nos próximos anos, a Senior mexeu bastante no esquema organizacional. A diretoria de Marketing e Produto, liderada por Alencar, foi dividida e deu origem à diretoria de Novos Negócios. Sob esse guarda-chuva, ficam os projetos de corporate venture, M&A e parcerias estratégicas.

As quatro empresas investidas durante o Inove Senior continuam no portfólio da empresa: “vamos cuidar delas até fazer o desinvestimento ou decidir se faremos outro aporte”” aponta o gerente de Inovação, Cacio Packer, que esteve à frente do programa de aceleração nos últimos anos. “Ao longo dos anos, percebemos que acelerar não era o nosso foco. Faz falta um programa como esse, mas aprendemos bastante e vimos que não dava pra aumentar portfólio com empresas muito iniciais. A comunidade se desenvolveu bem desde então e agora nós também nos posicionaremos de uma outra forma, não mais como uma aceleradora. Este novo nicho traz muitas oportunidades pra gente, tem bastante recurso para investimento anjo mas há uma lacuna de investimento acima da faixa de R$ 1 milhão”, avalia.