O que levou setor público e privado a firmar um “pacto pela inovação” em SC

Voce está em :Home-Sociedade-O que levou setor público e privado a firmar um “pacto pela inovação” em SC

O que levou setor público e privado a firmar um “pacto pela inovação” em SC

Compromisso firmado por 29 entidades prevê mais de 60 iniciativas para transformar Santa Catarina em referência mundial em inovação

Compromisso firmado por 29 entidades nesta segunda (30) prevê mais de 60 iniciativas para transformar o estado em referência mundial em inovação

No município de Luzerna, no meio-oeste catarinense, todos os alunos do ensino fundamental na rede municipal participam de um programa em parceria com o Senai local em que eles “experimentam” oito diferentes formações profissionais testando novas tecnologias e processos de inovação. Com isso, jovens de 12 e 13 anos da pequena cidade de 6 mil habitantes começam a desenvolver em novos produtos e modelos de negócio que depois podem ser aprofundados na incubadora do município e gerar inovações para a indústria ou mesmo novas startups.  “O estímulo ao uso de tecnologias e processos inovadores tem que começar no ensino fundamental. Esperamos levar para o ensino médio a partir de 2018”, explica o prefeito Moisés Diersmann. Este modelo, que começou em 2008 e ganhou impulso a partir de 2014, já está sendo replicado por outras cidades catarinenses como Treze Tílias, Ibicará, Lacerdópolis, Erval Velho, Mafra, Canoinhas e Campos Novos.

Esta união entre poder público e setor privado para ensinar tecnologia e estimular o empreendedorismo é o objetivo de um documento assinado nesta segunda-feira (30.10) por 29 entidades de Santa Catarina, o Pacto pela Inovação. O projeto é uma carta de intenções envolvendo autarquias de governo, fundações, federações, entidades associativas e instituições de ensino, que firmaram um compromisso para incentivar e desenvolver ao todo mais de 60 projetos de inovação. “Este não é um movimento de governo, mas de todas entidades que formam este ecossistema no estado. Nosso propósito é fazer de Santa Catarina um estado modelo, em nível mundial, no desenvolvimento de tecnologia e inovação”, explicou Jean Vogel, diretor de Ciência, Tecnologia & Inovação na Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina, durante abertura do 1o. Encontro do Ecossistema de Inovação Catarinense, organizado pelo governo do estado e que reúne cerca de 300 participantes até a terça-feira (31), em Florianópolis.

Leia também: Para Josep Piqué, “o melhor modelo para estimular a inovação é a parceira público-privada”

Segundo Vogel, a iniciativa de criar um pacto surgiu no início de 2015, quando ele foi convidado para coordenar o projeto dos Centros de Inovação a serem construídos em 13 cidades polos de Santa Catarina. “Os centros são apenas parte do projeto. E ele só dará certo se ligarmos os pontos e envolvemos instituições em todo o estado. Ainda estamos distantes, mas o objetivo é sermos colaborativos”, ressalta. Dos 13 centros, apenas o de Lages já está em operação – problemas com construtoras adiaram projetos em outras cidades, como Tubarão e Criciúma.

Cerca de 300 autoridades, empreendedores e educadores participaram do Encontro do Ecossistema Catarinense de Inovação. Foto: James Tavares/SECOM

“O governo pode abrir portas, mas muitas iniciativas tem que ser tomadas pela iniciativa privada”, comenta Daniel Leipnitz, presidente da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE), que também vê cenários de colaboração entre setor público e privado: “há muito para trabalhar em conjunto, seja a viabilização dos centros regionais de inovação e os programas de formação de pessoas, as leis de inovação e os fundos municipais, que sirva para todo o estado, sempre respeitando as prioridades locais”.

Empreendedor no ramo de tecnologia, Guilherme Reitz discorda da visão de que “se o governo não atrapalhar já está bom”. “No meu histórico, o apoio e os recursos foram muito importantes. Participei com minha empresa do programa StartupSC e depois obtivemos um investimento de venture capital com um fundo que tinha recursos da SC parcerias. O trabalho de investir fez a diferença” comenta o fundador da Axado, uma plataforma para gestão de fretes que foi vendida em 2016 para o Mercado Livre por R$ 26 milhões. Após vender a empresa e sair do dia a dia dos negócios, Guilherme agora se dedica a mentorar e investir em novas startups e também dá aulas em uma universidade na Grande Florianópolis.

“O estímulo ao uso de tecnologias e processos inovadores tem que começar no ensino fundamental”, afirma Moisés Diersmann, prefeito de Luzerna (SC), cidade que replicou modelo inovador de educação empreendedora

Até instituições de caráter nacional estão envolvidas no pacto proposto pelo governo, como o Instituto Brasileiro de Qualidade de Processos (IBQP), que se dispôs a monitorar os indicadores de atividades feitas dentro do programa, e a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec). “Queremos acompanhar de perto essa experiência porque este modelo, tanto o dos centros de inovação quanto o de unir as entidades, é um modelo a ser entendido, aprofundado e replicado para todo o país”, comentou Jorge Audy, presidente da Anprotec. Na semana passada, a Associação confirmou que Florianópolis será a sede do congresso nacional em 2019, reunindo mais de 400 representantes de parques tecnológicos e ambientes de inovação do país. “Certamente iremos discutir e avaliar os resultados que forem obtidos até lá”, antecipa Audy.

Confira o compromisso de cada entidade e as iniciativas que serão parte do Pacto pela Inovação:

Secretaria de Desenvolvimento Sustentável (SDS) do Governo de SC:

  • Sede do coworking do Pacto pela Inovação
  • Implantação da rede de Centros de Inovação
  • Programa de formação de gestores dos centros e habitats de inovação
  • Programa Geração Tec 2.0

UDESC

  • Mapeamento do ecossistema de inovação de SC (empresas, infraestrutura e capital intelectual)

ACAFE

  • Expansão do programa TCC Startup
  • Programa de formação empreendedora para docentes das instituições da rede

FAPESC

  • Programa Inova Talentos
  • Prêmio Stemmer de Inovação
  • Programa Sinapse da Inovação

INPI

  • Programa estadual de capacitação em propriedade intelectual

UFSC / VIA Estação Conhecimento

  • Observatório de Habitats de Inovação
  • Laboratório de referência em transferência de tecnologia
  • Duas edições da revista Ciclo Via

IFSC

  • Rede de laboratórios do Instituto à disposição de empresas inovadoras
  • Chamada pública para programa de licenciamento de patentes

CELESC

  • Organização de hackathon
  • Política de dados abertos da Celesc para o ecossistema e a sociedade

CIASC

  • Organização de hackathon
  • Desenvolvimento de plataforma de dados abertos com foco em Inteligência Artificial e Internet das Coisas

FIESC

  • Observatório da Inovação em SC
  • Apoio na elaboração da “especialização inteligente” nos centros de inovação

SENAI

  • Programa Despertar 4.0 em SC
  • Laboratório Aberto Senai em Joinville
  • Instituto da Indústria no Sapiens Parque

SESI

  • Disponibilizar o Espaço Maker para empresas e projetos inovadores
  • Centro de Inovação SESI para tecnologias voltadas à saúde

Instituto Euvaldo Lodi (IEL)

  • Ações de sensibilização em empresas
  • Orientação a empreendedores sobre fontes de fomento para projetos inovadores
  • Eventos para aproximar o mundo das ciências às demandas das empresas

SENAC

  • Incentivo a produção de TCCs sobre inovação
  • Fomento dos processos de inovação em empresas de comércio, bens e serviços

SEBRAE

  • Projeto Economia Criativa Foz do Rio Itajaí
  • Programa StartupSC
  • Edital de projetos de inovação para micro e pequenas empresas

ACATE/DEATEC

  • Nova unidade do LinkLab ACATE
  • Criação de dois novos núcleos da Rede de Investidores Anjo de Santa Catarina (RIA) no estado
  • Atração de capital de risco
  • Centro de Inovação ACATE Sapiens Parque

FUNDAÇÃO CERTI

  • Integrar o programa Sinapse da Inovação ao ecossistema de SC
  • Capacitação de incubadoras, aceleradoras e centros de inovação via metodologia CERNE (40h)
  • DemoDay venture capital
  • Workshop Indústria 4.0

Núcleo de Inovação e Tecnologia em Agricultura Familiar (NITA)

  • Plataforma de inventário para empresas que atuam com agricultura familiar
  • Missão técnica para aproximar startups e pequenas empresas do setor

Associação Internacional de Ambientes de Inovação e Parques Tecnológicos (IASP)

  • Levar startups de SC para conhecer programas e ambientes de inovação fora do país
  • Acesso ao conteúdo produzido pelo ecossistema global de parques tecnológicos
  • Conectar empresas de SC à rede de 400 participantes

ANPROTEC

  • Acesso a todos os conteúdos produzidos pela entidade
  • Atividades de formação e capacitação de gestores de habitats de inovação
  • Acesso de membro às missões organizadas pela entidade

FECAM

  • Apoio à definição de “estratégias inteligentes” dos Centros de Inovação
  • Fomento de práticas de inovação em cidades com menos de 100 mil habitantes
  • Laboratório de Inovação

FACISC/CEJESC

  • Circuito de palestras sobre desenvolvimento do ecossistema local
  • Divulgação do pacto da Inovação em eventos nacionais e internacionais sobre empreendedorismo jovem

ADVB SC

  • Criação de comitê de inovação em marketing e vendas
  • Campanha de valorização de marcas inovadoras em SC

RECEPETI

  • Estruturação da rede de incubadoras de SC

IBQP

  • Monitorar os indicadores de ações do pacto
  • Modelar e certificar a gestão dos espaços de inovação