Com estratégia de aquisições, Senior dobra receita em quatro anos

Voce está em :Home-Negócios-Com estratégia de aquisições, Senior dobra receita em quatro anos

Com estratégia de aquisições, Senior dobra receita em quatro anos

Neste período, empresa investiu também em programas de inovação. Em 2017, crescimento foi de 11% e alcançou R$ 283,4 milhões – em 2013, receita anunciada foi de R$ 141,4 milhões

Neste período, empresa investiu também em programas de inovação. Em 2017, crescimento foi de 11% e alcançou R$ 283,4 milhões


A blumenauense Senior Sistemas,
especializada em tecnologia para gestão , anunciou nesta segunda (26.02) um crescimento da receita bruta de 11% em 2017 na comparação com o ano anterior, chegando a um total de R$ 283,4 milhões. O resultado é praticamente o dobro do que a empresa obteve em 2013, quando anunciou receita de R$ 141,3 milhões. Neste período, a empresa desenvolveu projetos para 476 novos clientes e focou na estratégia de aquisições e de aproximação do universo de startups. Nos últimos sete anos foram 10 operações de aquisição por parte da companhia catarinense.

Em 2017, adquiriu a Gôndola Sistemas, especialista em gestão de supermercados, e a Prodama, com foco no agronegócio. Além disso, comprou 25% da SocialBase, startup  fundada em 2011 em Florianópolis e que desenvolve redes sociais corporativas. A estratégia é de ampliar o portfólio nos segmentos de atuação com maior participação no faturamento global. Entre as áreas de atuação, a solução para gestão de pessoas cresceu 13% no ano passado e a gestão empresarial (ERP) teve aumento de 12%.  “Investimos nossos recursos para potencializar as experiências dos nossos clientes com aumento de produtividade, agilidade e competividade”, explica o CEO Carlênio Castelo Branco.

Fundada em 1988, a Senior conta com cerca de 1,3 mil colaboradores distribuídos entre a sede em Blumenau, filiais, escritórios e unidades de negócios e cerca de 100 canais de distribuição em todo Brasil.

Programa de inovação

Em 2015, a empresa lançou o Inove Senior, um dos primeiros programas de corporate venture em Santa Catarina, que  já acelerou 16 empresas  e transformou  três delas em unidades de negócio (Citrum, Conta Mínima e M2Agro). Outras duas – Upsim e Dunning – atuam como empresas parceiras. Na atual turma de aceleração estão três projetos: Intelup (manufatura), Quendu (segurança) e Meu Leite (agronegócio). Em abril, a empresa deve divulgar quais empresas devem se tornar as novas unidades de negócio.

“O programa de aceleração é um processo muito rápido e seletivo. As startups têm cinco meses para provar que existe uma grande oportunidade para seus produtos, que têm as competências mínimas para competir no mercado e que, sobretudo, o modelo de negócios possa ser escalado, levando em conta também o timing de mercado e a rede da Senior”, define Cacio Packer, gerente de Inovação da Senior.